4 de novembro de 2009

wolak




olha o mar.
e chora.
do outro lado estão todos mortos.
restaram estas mulheres: ela e suas sementes.
e uma dor sutil do lado esquerdo.
que nunca mais passou.



.

2 comentários:

Ana de Longe disse...

Aqui o mar é frio.
Novembro é frio.
A casa é fria.
A Joana e o Zé são
quentinhos.
Abç saudade.

veronika paulics disse...

dei a este texto o nome wolak. mas antes que as mulheres retratadas autorizassem o uso do nome, ocultei-o sob o título "história de (outra) família". agora ele retoma o título original. com as devidas autorizações. agradeço às wolak, por sua delicadeza.