2 de dezembro de 2009

pequenas vinganças do cotidiano

os manacás existem.





as lagartas insistem.





eu também.

8 comentários:

Neide Rigo disse...

Seriam lindas borboletas!
beijos, n

veronika paulics disse...

neide, neide... vamos mudar o ângulo: e se elas devorassem as folhinhas cheirosinhas do seu lindo pezinho de limáo kafir? aposto que voce inventaria uma fritada de lagartas... sorte nossa e azar das borboletas... nada como muitos ângulos.
bj. v.

Júlia Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Júlia Tavares disse...

lembro quando vc chegava para trabalhar se sentindo toda esquisita por ter matado lagartas... rs...
Beijos, amei o poema/foto.

Fernando Amaral disse...

Rs... Entendi, depois dos comentários, confesso. E ri pra valer.

ana marconato disse...

eu já tava aqui em uma viagem de combinar as listras das lagartas com o roxo do manacá. mas lembrei: outro dia fiz uma matança de formigas que invadiam minha mesa. foi tão bom.

Georgia disse...

Eu não consigo matar nenhum animal. Outro dia meus gatos pegaram uma borboleta linda mas, quando eu vi, ela já tinha uma asa destroçada. Rodopiava no piso da cozinha impotente, o que atiçava ainda mais a brincadeira dos felinos e eu fiquei ali, paralisada. Aflita com o prazer deles e sem consegur dar uma chinelada de clemência. Deixei-a lá, sofrendo. Já passaram uns oito dias e eu ainda lembro dela e da minha covardia.

Anônimo disse...

acabo de encontrar um outro ponto de vista:
https://andreadelfuego.wordpress.com/2011/05/26/o-jardim-nao-precisa-de-mim/

saudade de manacás e lagartas.