9 de agosto de 2010

insistentemente




saúvas devoram meu quintal. não gosto delas. dizem que têm lá o seu papel no ciclo da vida, mas eu não gosto. elas são cabeçudas e bundudas (existencial e fisicamente). são muitas, milhões. devoram o que é importante para mim. uma, duas, três, incontáveis vezes devoram o mesmo pé de coisa. o que me sustenta é que nada, até hoje nada, que tivesse raízes profundas deixou de renascer.


(foto: neide rigo)
.

4 comentários:

Alvaro Vianna disse...

Monteiro Lobato revivido.

Neide Rigo disse...

Vamos comê-las? São temperadas com capim-santo.
beijos, n

Anônimo disse...

ou o Brasil acabava com as saúvas ou as saúvas acabavam com o Brasil

Ismália disse...

Vamos comê-las!!