11 de janeiro de 2011

lado a lado



a viagem mais é percurso que chegada. sabemos todos.
quando uma estrada, a vista do rio a banana na beira a noite morna e silenciosa na cidade de praça e coreto.
quando o cotidiano, é difícil ver o percurso e a parada no picar dos tomates.
minha mão interrompe a sua no guardar das roupas.
estou o que não quero ser.
o desejo um cardume desfeito de pequenos peixes prateados que não vi.

2 comentários:

Fabiana disse...

tão boa essa distração, mas tão difícil saber que é impossível estarmos o tempo todo atentos, o tempo todo as mãos em concha para ao menos sentir os peixinhos em festa...

Maína Junqueira disse...

Nadar com(o) os peixes, esse é maior desejo.