26 de julho de 2011

pequenas mortes

se nos damos conta que de tempos em tempos enterramos a pessoa que não somos mais, a morte não é tão drástica. nem tão impossível. é o silêncio, o momento em que ainda não sabemos para onde seguir. ainda não sabemos quem vamos ser.

2 comentários:

César disse...

lindo....lindo demais..



parabéns...

Maína Junqueira disse...

Essencial...